BOLSA DE VALORES

Você sabe como viver da Bolsa de Valores?

por: Danilo Zanini
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Se você já leu os textos que publico aqui ou viu os meus vídeos no YouTube, sabe que eu não sou um cara irrealista. Já falei diversas vezes que o mercado de ações não é um mar de rosas, inclusive, para quem pretende viver da Bolsa de Valores. Eu quero começar este texto assim, pois acredito que há uma imagem muito ilusória sobre esse investimento — ou se ganha em um golpe de sorte, ou se perde, porque o mercado é assim mesmo, arriscado. De fato, existe um pouco de verdade nisso, pelo menos, no que diz respeito a ganhar ou perder. São probabilidades, e elas fazem parte de qualquer investimento, mesmo os de renda fixa. Agora, se a questão é se é possível conseguir lucros constantes a ponto de isso se tornar a sua fonte de renda principal? Eu diria que sim. Neste texto, eu quero dar um guia bem completo de como é possível viver da Bolsa de Valores. Vamos lá?

Como ganhar dinheiro na Bolsa?

A minha intenção com este conteúdo é que você tenha as principais informações de como funciona esse mercado. Ok, eu sei que você sabe o que é uma ação (a menor parte de um negócio) e também acredito que, até aqui, compreende que, para entrar na Bolsa, é preciso estar cadastrado em uma corretora, não é? Bem, agora, eu quero aprofundar em algumas estratégias de quem utiliza esse mercado como o seu “ganha pão”. Mas, primeiro, vamos entender o que é um trader.

O que é um trader?

Assim como há investidores que compram ações com a intenção de obter cada vez mais lucros e ser parte dos sócios de um negócio, existe outra espécie de frequentador da Bolsa: pessoas que têm o objetivo não de ganhar com os lucros oferecidos pela empresa, mas, sim, com a especulação do preço dos papéis. O trader é um indivíduo que lucra com a distinção entre o valor de compra ou de venda de um ativo. Diferentemente de um investidor padrão, ele não monta a sua carteira pensando no longo prazo. Ela é montada para ser liquidada rapidamente a fim de obter lucro ou quando atinge o seu limite de prejuízo. Entre os ativos negociados por ele, estão:
  • ações;
  • opções;
  • futuros;
  • mini-índice;
  • contratos de dólares etc.
O trader é, justamente, o tipo de pessoa que utiliza as especulações como forma de ganhar dinheiro para se sustentar. Não pense que ele simplesmente entra uma vez no mercado, compra algumas ações, vende e vai embora. O seu trabalho acontece muito antes de a Bolsa abrir, fazendo pesquisas e analisando gráficos e as cotações passadas para definir qual será a sua estratégia. Além disso, ele fica atento ao “sobe e desce” das ações para encontrar as melhores oportunidades durante todo o período do pregão.

O que é Day Trade?

Agora que você já está familiarizado com um dos principais personagens do mercado, vamos falar sobre uma das estratégias utilizadas: o Day Trade. Basicamente, quando se compra ou vende uma ação em um intervalo de menos de 24 horas, nós chamamos isso de Day Trade. Essa é uma das principais operações utilizadas pelos traders e, em muitos casos, não costuma durar nem um minuto. O grande “macete” dessa tática está na possibilidade de ganhar com a diferença da ação e também de ser capaz de fazer um alto volume de negociações, utilizando a estratégia de alavancagem. Entenda:
  • alavancagem: por meio de uma quantidade mínima, é possível movimentar grandes quantidades de dinheiro. O que acontece na Bolsa é que, muitas vezes, a corretora determina um limite de alavancagem. Por exemplo, suponhamos que você seja um investidor que tem R$ 1.000 para aplicar em ações. A instituição permite que seja possível alavancar esse valor em termos de negociação em até 5 vezes, ou seja, você pode movimentar R$ 5.000 em papéis sem realmente ter essa quantia.

Como operar em Day Trade?

Existem alguns passos para conseguir operar em Day Trade sem acabar por sofrer grandes danos. Afinal, é bom lembrar que o mercado de ações, principalmente para quem faz esse tipo de operação, tem bastante volatilidade. Algumas formas de se preparar são:
  • faça simulações: acredito que não há muita gente que sabe que é possível estudar a Bolsa de Valores por meio de simuladores. Sim, quando falei que isso era um trabalho, não estava brincando. Existe todo um mercado em volta para ensinar como ser um trader e treinar as suas estratégias. Simuladores são uma ótima oportunidade para conseguir ter uma ideia do mercado sem se arriscar de verdade, porém, principalmente, para avaliar se você entende os fundamentos desse tipo de operação;
  • estude, estude e, quando achar que acabou, estude mais: existem diferentes táticas quando o assunto é Day Trade e você deve estudá-las. Os simuladores representam, como eu disse, uma ótima forma de entender o mercado de uma maneira mais próxima, mas, antes e durante, você terá que ter uma base. Eu vou falar mais sobre esses métodos no decorrer do texto, no entanto, para já deixá-lo sabendo do que precisará estudar, a análise técnica e a de fluxo são algumas;
  • planeje-se para ganhar, planeje-se para saber perder: aqui, eu já imagino que você treinou bastante, estudou o mercado e as estratégias disponíveis e está pronto para começar, não é? Porém, antes de abrir o seu home broker e comprar um lote de ações daquela empresa lá, é preciso que faça uma coisa — planeje-se. Riscos fazem parte desse mercado, e eles são quase inseparáveis. Por isso, você terá que fazer uma boa gestão de duas coisas — quanto tem disponível para fazer o Day Trade e quanto é o seu limite para perder.

O que é o Swing Trade?

O Day Trade não é a única operação que um trader pode realizar. Além dela, existe outra categoria que não é tão imediata assim, mas que também está relacionada ao curto prazo: o Swing Trade. Diferentemente da primeira, nela, os prazos da operação são mais extensos, podendo durar um dia a duas semanas e, acredite, ela também oferece retornos interessantes. Porém, a questão da alavancagem é abortada aqui, pois o investidor não pode especular um valor que ele não tem. Os seus resultados vão depender do volume e podem até ser interessantes, não tão altos quanto o Day Trade, mas expressivos — em média, uns 4%.

O que fazer para operar nessa modalidade?

Assim como no Day Trade, o conhecimento de mercado é fundamental. É preciso ser capaz de identificar as tendências, tanto da Bolsa no geral quanto dos setores. Isso significa que algumas das táticas utilizadas em um são usadas no outro, como a análise técnica, principalmente, para entender quando há um momento de ruptura e resistência. O tempo de operação não é tão intenso e é possível operar por 20 minutos dependendo do seu objetivo. Além disso, para ajudar, é interessante utilizar alguns indicadores, como o IFR e o Bollinger. Entenda:
  • índice de força relativa: o IFR é um dos índices utilizados para reconhecer os níveis de movimento de preços. Conforme há uma diminuição na velocidade das mudanças de valores, ele oferece indicações de 0 a 100. Foi desenvolvido por J. Welles Wilder, e o principal objetivo é mostrar que, à medida que há uma desaceleração, é a hora de mudar de direção;
  • bandas de Bollinger: é um indicador usado para mostrar se é o momento de comprar ou vender uma ação em um determinado período. Ele ajuda a medir a volatilidade, mostrando se o ativo está estável, sobre-vendido ou sobre-comprado.

Quais as boas práticas?

Agora que entendemos como funcionam as principais táticas para operar quando se pretende viver da Bolsa de Valores, vou explicar quais são as melhores práticas para conseguir operar com tranquilidade. Continue!

Tenha uma rotina

Como eu disse, ser trader é um trabalho, independentemente da sua escolha de estratégia, pois mesmo uma pessoa que opera por Swing Trade precisará ter uma rotina de análise das ações que escolheu e estratégias. Aliás, a rotina, de uma maneira geral, não é uma forma de deixar você estagnado. É uma maneira de manter um equilíbrio e perseverança no seu objetivo, além de evitar as falhas. Tem gente que pode achar que não é necessário se manter constante quando o assunto envolve ações. Aliás, ser disciplinado é a melhor forma para que, mesmo nessa estratégia de curto prazo, ao longo, você tenha mais ganhos do que perdas. Porque você perderá, mas é diferente ter uma constância de prejuízos por falta de desenvolver uma rotina adequada do que em alguns períodos específicos.

Entenda onde está pisando

Eu já falei sobre a importância de estudar; aliás, esse é um dos requisitos básicos para operar no Day Trade e no Swing Trade. Agora, quero reforçar ainda mais o quanto entender o mercado é fundamental, e isso passa por conhecer as estratégias possíveis. Mas, além disso, é importante que você também tenha uma rotina para compreender os movimentos. As análises e outras técnicas serão a sua base, contudo, você também precisará desenvolver outra prática antes mesmo de o mercado abrir. Esse será o momento para fazer uma extensa pesquisa a fim de saber quais são os humores do mercado. Sendo assim, você analisará duas coisas:
  • índices internacionais: acredite, a nossa Bolsa depende bastante do que acontece nos principais indicadores de fora, principalmente os americanos. Nesse caso, Dow Jones e SP500 são os principais para se verificar. Os mercados europeus também são recomendados, pois costumam influenciar alguns resultados daqui;
  • notícias: essa parece óbvia e, se não parece, espero que você comece a adotar. Como investidor, é importante que você fique atento às notícias do que acontece no mundo da economia. Você pode começar pelas relevantes só para ter uma ideia. Atente para resultados de balanços, IPO e notícias relevantes que podem influenciar a variação, assim como ao que acontece na política, já que isso pode definir drasticamente muita coisa.

Avalie o dia anterior

Você já viu o que ocorre, de uma maneira geral, na economia e na política. Agora é hora de ser mais específico na sua pesquisa. Dê uma olhada no que aconteceu na Bolsa no dia anterior e como foram os movimentos do mercado. Além disso, é um ótimo momento para avaliar o seu desempenho. Veja quais foram as oportunidades que você aproveitou, quando saiu etc. Analise se as suas ações estavam de acordo com a estratégia que definiu e veja se poderia ter tomado outra decisão. Se há alguma operação em aberto, você pretende, por exemplo, encerrá-la? Essas informações, entre outras, podem ser mais bem avaliadas se você tiver um diário de trader. Essa é uma boa maneira de acompanhar os seus passos e o desenvolvimento de sua estratégia e falarei mais nos tópicos a seguir.

Vá atrás de oportunidades

Já devidamente preparado para o dia na Bolsa, chegou a hora de analisar pensando no futuro. Avalie os gráficos e como está o movimento e o que pode indicar uma boa oportunidade para aplicar. Os principais pontos para verificar são: ativos que estão no limite do suporte ou resistência, tendências e ações que apresentam algum sinal de entrada ou saída segundo o que você avaliou.

Tenha e mantenha um diário de trader

Eu falei nos tópicos anteriores sobre essa magnífica ferramenta, que é o diário de trader. Não se preocupe, pois você não precisará escrever “querido diário” a cada operação. Na verdade, é um local em que se registra tudo que você fez relacionado ao seu dia a dia como trader, sejam pontos de entrada ou de saída, sejam mudanças de estratégia etc. Ou seja, tudo que estiver relacionado a esse período em que operou. Ele é uma forma de você ter mais controle das suas operações, além de auxiliá-lo a ter um importante material para avaliar o seu desempenho. O diário de trader também é uma maneira para que você se mantenha disciplinado no seu objetivo. As opções para fazer esse registro ficam à sua escolha, podendo-se usar tanto uma planilha quanto um caderno para anotar as suas operações.

Mire no conhecimento

A experiência é uma ótima forma de indicar que você já está pronto para lidar com o mercado, porém, mesmo que já tenha feito muitas operações, você nunca poderá parar de estudar. Os estudos serão a base para que você tome decisões com mais segurança e, em um universo em que o que mais se tem é risco, é a única maneira de se proteger. Estudando o mercado, as análises e os índices, você terá mais certeza da forma como poderá chegar ao seu objetivo.

Reserve uma boa quantia

Eu não serei ilusório a respeito da quantidade de dinheiro para investir na Bolsa. Claro que dá para aplicar com pouco, ainda mais, dependendo da sua estratégia; porém, é preciso ser realista sobre como funciona: quanto mais, mais chances de você ganhar melhor. Nesse ponto, como o objetivo é viver disso, você deve pensar em uma quantidade que proporcione um lucro correspondente para se manter mensalmente. É importante ter essa quantia definida para evitar maiores transtornos.

Diversifique

Eu sei que parece estranho, afinal, o foco aqui é o mundo das ações, porém, é possível complementar os seus rendimentos com outros produtos oferecidos no mercado de renda variável. Além da própria diversificação de setores dos papéis, você também pode trabalhar com alternativas, como ETFs, contratos futuros, opções, entre outras.

Como fazer os melhores investimentos?

Chegamos à parte em que explico alguns dos métodos comuns para se conseguir mais resultados positivos. Gosto de deixar claro que eles dependem também do investidor. Um fundamento sozinho é só uma fórmula. Para atingir o objetivo, é importante que o indivíduo o entenda e saiba como aplicá-lo. Vamos lá, então?

Procure por análises

Você pode fazer a sua própria análise referente a alguma empresa no mercado ou movimento. Também existem empresas e traders profissionais que disponibilizam esse serviço, fornecendo algumas avaliações sobre o que observaram acerca da tendência do mercado. A ideia não é influenciá-lo a escolher um ou outro, mas entender que é possível utilizá-las em conjunto. Aliás, um dos ideais é que você faça comparações entre as informações, procurando por analistas experientes, para chegar às melhores conclusões.

Escolha um método

Agora, chegamos a uma parte interessante, apesar de que, para Day Trade e Swing Trade, a escolha é geralmente a análise técnica ou de fluxo. Neste tópico, eu quero falar dos três tipos encontrados no mercado:
  • analise técnica: também conhecida como price action, essa é a mais utilizada para as estratégias de curto prazo. Ela analisa os movimentos dos preços das ações por meio de um gráfico. Sabe aqueles gráficos com uns traços? Pois é, eles são os utilizados nesse tipo de análise;
  • análise de fluxo: a tape reading é mais focada nos fluxos de mercado, indicando a direção do volume, geralmente, de ativos com bastantes negociações. Para fazê-la, é utilizada uma plataforma específica, conhecida como ProfitPro;
  • análise fundamentalista: essa é exclusiva para investidores que têm uma estratégia de longo prazo para lidar com as suas ações. Os que fazem buy and hold, por exemplo, costumam utilizar essa análise. Ela ajuda a definir um valor de um ativo de acordo com fatores fundamentalistas, como índices relacionados ao desempenho do negócio, à gestão da empresa, ao histórico de balanço, aos lucros, à dívida total etc.

Faça o planejamento e gerencie os seus riscos

Uma coisa importante para lidar com a volatilidade da Bolsa, mesmo que a sua estratégia dependa disso, é o planejamento e gerenciamento dos riscos. Você deve ter uma reserva de emergência para caso não consiga atender aos rendimentos mensais necessários. Isso o deixará mais tranquilo em relação às operações do dia a dia. Também é interessante estipular um limite para perder. Quando falo sobre risco, é disso que estou falando. Você precisa ter uma ideia de quanto pode ter de prejuízo, tanto diário quanto mensal. Aliás, seja equilibrado em meses de muitos lucros, pois é bom que você tenha uma ideia do que fará com esse valor, sem se encantar com os ganhos e sendo responsável com o uso.

Quais cuidados tomar?

Já entendeu tudo de que precisa para investir com o objetivo de se manter? É hora de saber quais são os cuidados para ter uma rotina tranquila. Continue!

Evite emoções

É comum que os ânimos fiquem exaltados no “sobe e desce” dos preços das ações, tanto para aqueles que se sentem extremamente animados com os resultados quanto para os que se desesperam. É fundamental ter controle das suas emoções, por isso, falo tanto de estudar, de ter planejamento e de se preparar para os riscos. A variação é grande e, para uma pessoa que não está preparada, pode ser uma péssima experiência. Paciência e foco são as melhores armas para lidar com toda a pressão que é investir em ações, principalmente, no curto prazo.

Não siga o que os outros falam

Não é para você menosprezar o que as pessoas falam, mas é importante que você tenha discernimento na hora de ouvir. Iniciantes costumam seguir um guru ou alguém que acham que é mais experiente. Porém, destaco que é fundamental você analisar o que está sendo dito. Se for necessário, procure por outras fontes para confirmar aquela opinião.

Comprar na alta e vender na baixa

Esse é um erro que pode acontecer, principalmente, quando não se tem uma análise mais racional da situação. Lembre-se de que uma das estratégias fundamentais é conseguir observar quais são os pontos de virada, momentos que indicam que um preço vai subir ou descer.  Isso só é possível por meio de análises e de estudo; desespero e excitações não funcionam e trazem bastante prejuízo no mundo das ações. Por isso, avalie todo o contexto em relação aos movimentos do mercado para diminuir as chances de perdas.

Qual é o perfil do investidor na Bolsa?

Bem, acredito que, a essa altura, você já conheça o perfil do investidor, já sabendo que, geralmente, os entusiastas da renda variável são o arriscado e o moderado. Para viver da Bolsa, é preciso que você seja alguém que suporte o alto risco como é o caso desses dois. Especificamente, o arriscado é o que mais se encaixa, pois ele entende os riscos como parte da rotina desses investimentos, não se incomoda com as perdas e escolhe mais procurando lucros do que segurança. Além disso, sempre tem uma estratégia de controle dos riscos, como diversificar o portfólio e ter uma reserva para poder operar com tranquilidade. Ao longo deste texto, você pôde ver o que é necessário para viver da Bolsa de Valores. Espero que tenha ficado clara a importância de estudar as estratégias, ter um planejamento e trabalhar a tolerância a riscos. Gostou deste texto? Quer continuar aprendendo sobre o mundo da Bolsa de Valores? Então, assine a minha newsletter!