Swing Trade: Entenda o que é e como funciona!

por: Danilo Zanini
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Muita gente que começou a se interessar por investir na Bolsa de Valores recentemente me pergunta “Danilo, o que é Swing Trade? Como que eu posso ganhar dinheiro com isso?”.

O Swing Trade é uma das principais maneiras de atuar na Bolsa de Valores comprando e vendendo ações. Não é uma estratégia para todo mundo, mas pode ser que você consiga bons resultados com ela.

Se você também tem a dúvida sobre o que é Swing Trade, se vale a pena começar a operar dessa forma e o que é necessário para usar essa estratégia, segue a leitura deste artigo que eu vou explicar tudo que você precisa saber sobre o assunto!

O que é Swing Trade?

O Swing Trade é uma estratégia para operar na Bolsa de Valores. Nela, o investidor compra determinados papéis projetando que essas ações terão um determinado crescimento no curto prazo, coisa de 2 dias, 4 dias, talvez duas semanas ou um pouco mais. Depois desse tempo, o investidor liquida a sua posição e arca com o prejuízo ou embolsa os lucros da estratégia.

Por causa disso, o Swing Trade não exige que o investidor conheça as particularidades da condição financeira das empresas ou saiba entender as consequências de longo prazo do cenário macroeconômico.

Ao mesmo tempo, não exige que você precise acompanhar a Bolsa o dia inteiro, minuto a minuto. Por isso, é uma ótima estratégia para quem tem pouco tempo disponível para operar.

Um dos principais pontos que eu costumo reforçar para todo mundo que me acompanha é que o Swing Trade é uma estratégia especulativa e não de investimentos.

“Mas qual a diferença, Danilo?”

A diferença é bem simples. Em um investimento, você coloca o seu dinheiro em alguma aplicação para que ele trabalhe por você e aumente o patrimônio. É algo de longo prazo.

Uma especulação não funciona assim. Você ganha ou perde com base nas operações que realiza e na qualidade da sua leitura do Gráfico de Candlesticks (já vou falar sobre isso!).

Como é que se ganha dinheiro com essa estratégia?

Uma das melhores coisas sobre o Swing Trade é que ele é bem flexível. Você pode ganhar com essa estratégia tanto em momentos de alta da Bolsa de Valores, como em épocas de queda.

No momento de alta, você fará uma operação Long normal: olhará os padrões de movimentação dos ativos e identificará os papéis com tendência de alta. Comprará e, depois que chegar ao seu Stop Gain ou Stop Loss (vou falar sobre eles depois) vai liquidar a posição.

Já nos momentos de baixa, você pode ganhar com o Swing Trade fazendo um Short: você aluga ações com uma corretora e vende no mercado.

A partir daí, espera as ações se desvalorizarem e depois as recompra por um preço mais baixo, devolvendo à corretora e embolsando o lucro.

O que NÃO é Swing Trade?

Eu, particularmente, acho que fica mais fácil entender bem o que é o Swing Trade quando a gente pode compará-lo com outras estratégias na Bolsa de Valores, como o Day Trade e o Buy’n’Hold.

O Day Trade é uma estratégia especulativa na Bolsa de Valores que envolve a compra e venda de ativos em um mesmo dia.

Por causa disso, é uma estratégia que exige um acompanhamento em tempo real da movimentação dos ativos na Bolsa de Valores para encontrar a hora certa de entrar e sair de uma posição.

Já o Buy’n’Hold é uma estratégia de investimentos em ações (essa sim). Como o nome indica, a ideia é comprar um papel e segurá-lo por um tempo indeterminado para manter determinada posição.

Para operar no Buy’n’hold (também chamado de Position), é necessário conhecer bastante do mercado e de análise fundamentalista para encontrar as melhores empresas para investir no longo prazo.

O Swing Trade, portanto, não é nenhuma dessas estratégias: você nem fará várias operações por dia para ter lucro e nem vai se “apaixonar” por uma operação segurando o papel por anos.

O objetivo, portanto, é encontrar bons padrões de crescimento e aproveitá-los para ganhar dinheiro em poucos dias.

Quais são os seus principais pontos de atenção?

Antes de você sair deste artigo e já começar a comprar ações para fazer Swing Trade na Bolsa de Valores, eu preciso explicar alguns outros conceitos.

Em primeiro lugar, o Swing Trade depende pesadamente da análise técnica, ou seja, a leitura dos gráficos de oscilações dos ativos para identificar padrões e tendências de movimentos.

Para se dar bem na análise técnica (o que é bem difícil para os iniciantes, não vou mentir), é importante dominar algumas ferramentas. Vou dizer quais a seguir!

IFR

O IFR (Índice de Força Relativa) é uma métrica que vai de 0 a 100 e serve para avaliar, de certa forma, qual é a posição do mercado em relação a determinado ativo. Ele serve, portanto, para confirmar tendências.

A escala do IFR vai de 0 a 100 pontos e, quanto maior a pontuação de um ativo, mais "comprado" o mercado está em relação a ele.

Acima de 70 pontos, o padrão é considerar que o mercado está comprado naquele papel. Ou seja, as pessoas "apostam" que a ação vai se valorizar. Se o IFR está abaixo de 30 pontos, é o contrário: o mercado está vendido.

Bandas de Bollinger

O nome parece confuso, mas o conceito de Bandas de Bollinger é bem simples de entender (eu prometo!).

Na verdade, as Bandas de Bollinger são indicadores de volatilidade de um ativo. Com elas, nós podemos interpretar se um papel está sobre-comprado (e, portanto, deverá se corrigir e perder um pouco de valor), estável ou sobre-vendido (e, portanto, poderá reverter a posição e começar a se valorizar).

Com esses cálculos, podemos identificar oportunidades para fazer operações compradas ou vendidas e estabelecer o Stop Gain e Loss das nossas projeções.

E por falar nisso...

Stop Gain & Stop Loss

O Stop Gain é um gatilho para vender um ativo quando ele se valoriza e chega ao valor que estipulamos como meta.

Já o Stop Loss é o contrário: é o gatilho para proteger o investidor e vender um papel quando ele se desvaloriza demais.

Gráfico de Candlestick

O Gráfico de Candlestick é a principal ferramenta de trabalho de um Swing Trader. É nele que podemos ver a oscilação dos ativos de maneira visualmente intuitiva para identificar tendências, reversões e oportunidades de agir.

O ideal para ter sucesso no Swing Trade é combinar todas essas ferramentas para fazer a sua análise técnica e identificar as melhores operações para lucrar.

Como você viu, fazer a análise técnica para lucrar no Swing Trade não é fácil. Para quem está começando, é melhor ter um apoio para operar na Bolsa de Valores

Por isso, eu sugiro assinar o Radar Técnico. Lá, você não só vai aprender tudo que precisa saber sobre a análise técnica, além de receber as melhores dicas de oportunidades que postamos por lá.

Além disso, quem assina o Radar tem acesso a uma reunião semanal comigo para tirar dúvidas e ajustar as arestas da estratégia.

E aí, bora aprender a fazer Swing Trade e começar a ganhar mais na Bolsa de Valores?