Como a taxa Selic influencia os investimentos?

por: Danilo Zanini
Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
A taxa Selic é um tema sempre abordado em jornais, publicações financeiras e em programas de televisão. A taxa básica de juros do país, como também é conhecida, desempenha um papel muito relevante para as decisões de investimentos e crédito, afetando direta ou indiretamente a vida de todas as pessoas e o desenvolvimento da economia de uma forma geral. O objetivo deste artigo é aprofundar o entendimento sobre o que é a taxa Selic, como ela é determinada e também como é capaz de influenciar os rendimentos dos demais produtos de investimentos. Tem curiosidade para saber mais sobre esse tema? Então, continue a leitura!

Como funciona a emissão de dívida do governo?

Todo o processo de formação da taxa Selic envolve também a oferta de títulos pelo governo. Mas você sabe por que o governo faz isso? Basicamente, quando os recursos arrecadados por meio dos impostos são insuficientes para custear os compromissos assumidos ou, ainda, quando são necessários mais recursos para investir em programas de desenvolvimento, ele recorre a outra forma de arrecadação por meio de empréstimos, chamada de emissão de dívida. Assim, os títulos emitidos pelo Tesouro Nacional (a tesouraria do governo) representam certificados de dívida, ou seja, um compromisso do governo em pagar ao comprador do título o valor investido na compra com o acréscimo de uma taxa de juros (pré ou pós-fixada) no futuro. Essa emissão de títulos se dá, primeiramente, para os bancos, no Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Conforme determina a lei, os bancos e as grandes instituições financeiras precisam enviar diariamente uma parte dos depósitos recebidos para uma conta no Banco Central. A finalidade dessa ação é dar mais segurança ao sistema financeiro e garantir um controle maior sobre a quantidade de dinheiro em circulação, funcionando como uma ferramenta para o controle da inflação. Como os bancos realizam diariamente milhões de negócios, é muito comum que alguns deles cheguem ao fim do dia com uma quantia menor (ou maior) do que o valor exigido para o envio ao BC. Dessa forma, os bancos também se veem obrigados a realizar empréstimos entre si para conseguir cumprir a legislação. Essas operações de empréstimos realizadas entre as instituições financeiras são de curtíssimo prazo (em torno de 24h) e têm como “lastro” ou “garantia” os títulos públicos adquiridos junto ao Banco Central no sistema Selic. Compreender todo esse processo é fundamental para entender a diferença existente entre as taxas Selic Over, Selic Meta e o Sistema Selic de negociação.

O que é a taxa Selic e qual a sua importância?

Agora que o processo de autofinanciamento do governo está mais claro, fica fácil compreender as referências utilizadas para a formação da taxa básica de juros. Para evitar erros e avançar no estudo da taxa Selic, é preciso, como dito, fazer uma diferenciação entre as taxas Selic Meta, Selic Over e o Sistema Selic. Confira!

Sistema Selic

Selic representa, em formato de sigla, “Sistema Especial de Liquidação e Custódia”, correspondendo ao sistema que citamos no tópico anterior em que os títulos do Tesouro Nacional são ofertados e negociados continuamente entre os bancos no chamado mercado interbancário. Trata-se de um sistema restrito, que impede o envolvimento de pessoas físicas, de modo que só podem participar o Banco Central e outras organizações por ele autorizadas. Dessa forma, a taxa Selic está diretamente atrelada aos juros praticados nessas negociações de títulos públicos entre os bancos.

Selic Over

A taxa Selic Over é nada mais do que a taxa de juros praticada nas operações entre os bancos que foi apresentada nos parágrafos anteriores. Como já citado também, essas instituições financeiras emprestam dinheiro entre si no mercado interbancário, utilizando os títulos públicos como garantia. Dessa forma, todo esse processo de negociação está vinculado diretamente com a capacidade de emissão de dívida pelo governo. A Selic Over não é muito conhecida pelo grande público, porém, como podemos observar ela exerce uma grande influência no mercado financeiro.

Selic Meta

A taxa Selic, por sua vez, representa a taxa básica de juros da economia, servindo de referência para a fixação das demais taxas de juros praticadas no país e para os diversos produtos de crédito, como financiamentos, empréstimos, cartões e aplicações financeiras de curto e longo prazo. O aumento, a continuidade ou a diminuição do seu valor são estipulados em reuniões periódicas por um órgão chamado COPOM, que é o Comitê de Políticas Monetárias do Banco Central do Brasil, a cada quarenta e cinco dias, após uma avaliação criteriosa de todo o cenário macroeconômico do país e de suas projeções.

Como a taxa Selic Meta influencia os investimentos?

Agora que você já sabe o que é a taxa Selic e qual a diferença entre a taxa Over e o Sistema Selic, chegou o momento de entender como ela interfere na atratividade dos produtos de investimentos existentes no mercado. De maneira objetiva, é possível afirmar que ocorre uma redução da taxa Selic:
  • os produtos de crédito ficam mais baratos, fazendo com que os bancos reduzam as taxas de juros cobradas em financiamentos e empréstimos;
  • com o preço do dinheiro mais baixo, a economia fica aquecida, provocando um aumento geral na procura por bens e serviços;
  • a elevação da demanda, por sua vez, também leva a aumentos nos preços (inflação).
Já se ocorre um aumento da taxa Selic:
  • os juros cobrados pelos bancos nos produtos de crédito tendem a ficar mais “salgados”, levando a uma redução da demanda por bens e produtos;
  • essa redução da demanda leva a uma estabilização ou à baixa dos níveis dos preços, controlando o efeito corrosivo da inflação sobre a renda das famílias.
Ao observar um cenário hipotético de queda no valor da taxa Selic de 3% para 2%, todas as aplicações financeiras do país serão diretamente afetadas, bem como os investimentos feitos pelos bancos e pelos demais investidores estrangeiros posicionados no Brasil. Dessa forma, os produtos financeiros ficam mais ou menos atrativos, a depender da sua categoria de investimento. As operações envolvendo ações na Bolsa de Valores, por exemplo, por proporcionarem maiores retornos no longo prazo, tendem a ficar mais atrativas até mesmo para os investidores mais conservadores que veem, na queda da taxa básica de juros, uma perda considerável do rendimento de algumas das suas aplicações em renda fixa. Da mesma forma, determinados produtos, como a caderneta de poupança, os títulos do Tesouro Direto e os demais investimentos de renda fixa, tendem a se valorizar conforme a taxa Selic aumenta. Isso ocorre porque boa parte dos produtos de renda fixa estão diretamente atrelados a essa taxa (como a poupança) ou indiretamente indexados a ela, como CDBs, LCs, LCAs, LCIs e outros títulos privados. Até aqui, podemos observar que a taxa Selic é fundamental para a saúde econômica do país, sendo um índice importante de desenvolvimento. Além disso, ela é um instrumento eficaz de controle da inflação e uma referência para os investidores que têm os seus investimentos diretamente atrelados à sua variação e, indiretamente, como na atratividade de outros produtos de maior risco. Gostou de saber mais sobre a taxa Selic? Já consegue visualizar o tamanho da sua influência na economia do país? Então, aproveite para seguir a página no Instagram e, assim, continuar a ter acesso a muitos conteúdos importantes para os seus investimentos.