Descubra os erros mais comuns ao montar sua carteira de ações!

Bolsa de Valores

Descubra os erros mais comuns ao montar sua carteira de ações!

Danilo Zanini
Escrito por Danilo Zanini
Junte-se a mais de 180.000 pessoas

Entre para minha lista de e-mails e receba conteúdos exclusivos e com prioridade.

Quem pretende começar a investir na Bolsa de Valores precisa, em primeiro lugar, montar uma carteira de ações adequada para o seu investimento. No entanto, é comum que iniciantes cometam muitos erros nesse estágio.

Uma boa carteira de ações garante ao investidor mais segurança e maximiza as suas chances de alcançar seus objetivos na Bolsa de Valores. Já uma carteira mal montada pode apresentar vulnerabilidades que colocam o patrimônio do investidor em risco.

Se você quer aplicar na Bolsa de Valores, precisa conhecer os erros mais comuns que são cometidos ao montar uma carteira com ações. Dessa forma, você pode evitá-los e ter mais chances de sucesso. Confira, a seguir, quais são!

Quais os erros mais comuns ao montar uma carteira de ações?

Eu montei uma lista com os erros que mais acontecem quando investidores resolvem montar uma carteira para investir em ações. Algumas dessas falhas são típicas de iniciantes, mas outras são cometidas até mesmo por quem tem anos de experiência.

Por isso, leia a lista com atenção para entender os erros e evitá-los na sua carteira!

Seguir dicas e palpites sem análise

Essa é uma falha típica de iniciantes, especialmente para aqueles deslumbrados pela possibilidade de lucrar muito na Bolsa de Valores. Se um analista prometer qualquer tipo de rendimento em ações, fuja. Não há como garantir que determinado papel subirá ou descerá.

É possível, sim, com base em uma análise técnica e fundamentalista, tentar projetar um movimento conforme o histórico da Bolsa, mas garantir um resultado é impossível. Por isso, se um analista der uma dica de ganhos acima da média sem uma análise robusta por trás, desconfie.

Montar uma carteira de ações sem liquidez

Liquidez é a facilidade de determinada ação em ser vendida e transformada em dinheiro para o investidor. As principais empresas da Bolsa contam com bastante liquidez em seus papéis. Isso significa que, caso você invista nelas, terá muita facilidade para sair da posição quando quiser.

Por exemplo, suponha que você comprou uma ação da empresa X, que tem muita liquidez. O papel subiu 4% em uma semana e, agora, você quer vendê-lo. Não haverá dificuldades.

Agora, imagine que você comprou uma ação da empresa Y, que está em recuperação judicial e com pouquíssima liquidez. O papel perdeu 5% de valor, mas você não consegue se livrar dele. Ou seja, fica acumulando prejuízo sem conseguir sair da posição.

Não considerar o stop gain e o stop loss das ações

Se você pretende investir em uma carteira de ações para aumentar seu patrimônio com a valorização dos papéis, precisa dominar os conceitos de stop gain e stop loss. Basicamente, eles são posições de saída de um papel.

O stop gain é a sua posição de saída em caso de lucro, enquanto o stop loss é a saída em caso de desvalorização do papel. Eles são importantes para gerenciar bem a movimentação das ações para aproveitar os ganhos e minimizar as perdas.

Usar as notícias de jornal para tomar decisões

Muitos iniciantes acompanham o jornal econômico e baseiam suas posições nele. A estratégia pode parecer interessante, mas é falha. Afinal, o mercado não interpreta as notícias da mesma maneira que você.

É claro que é importante se manter informado sobre as coisas, mas as notícias não devem compor a sua carteira de ações, mas a interpretação do mercado, sim.

Seguir a sua emoção ao tomar decisões

Um erro comum na montagem da carteira de ações é deixar a emoção decidir quando sair das posições compradas, especialmente para iniciantes. Excluir a racionalidade da sua tomada de decisões costuma levar a resultados ruins.

É importante ter em mente que nenhuma ação sobe sempre ou cai sempre. Mesmo que você tenha comprado um papel e ele esteja se desvalorizando agora, tenha paciência. Estruture-se e invista sempre no longo prazo. Se a posição foi montada com base em uma análise robusta, então, provavelmente, o papel recuperará seu valor e voltará a subir.

Não diversificar seu portfólio

Warren Buffett costuma dizer que “a diversificação é a proteção contra a ignorância: não faz sentido se você sabe o que está fazendo”. Muita gente interpreta a frase como uma instrução para não diversificar sua carteira de ações.

O problema dessa estratégia é que ela deixa sua carteira de ações concentrada demais. Por causa disso, qualquer situação negativa causa uma perda sensível de patrimônio. Não há como um papel compensar a queda do outro. 

O próprio Buffet conta com certo nível de diversificação em sua carteira. No entanto, o contrário também é problemático.

Diversificar demais a sua carteira

Muitos iniciantes vão na contra-mão da falta de diversificação e diluem demais a carteira de ações, comprando 15, 16 papéis diferentes. Não há como gerenciar tantas posições, especialmente se você está começando.

O ideal é manter sua carteira com um mínimo de 5 ações diferentes, mas não ultrapassar 10 papéis. Assim, dá para contar com uma proteção aceitável, ao mesmo tempo em que isso não dilui seu patrimônio.

Como montar uma boa carteira de ações e não cometer erros?

Saber os erros mais comuns é apenas o primeiro passo para montar uma carteira de ações vencedora, que trará lucros acima do IBOVESPA para você. No entanto, esse é só o começo.

Se você quer ter um portfólio de papéis estruturado, precisa estabelecer uma estratégia sólida e coerente. Veja como fazer isso em 8 passos:

  1. defina seu objetivo (você quer aumentar seu patrimônio ou ganhar com os melhores dividendos?);
  2. identifique seu perfil de investidor (qual a sua aceitação de risco em busca de lucros maiores?);
  3. acompanhe especialistas no mercado (para entender as tendências e identificar boas oportunidades);
  4. estude a movimentação da Bolsa de Valores (para identificar oportunidades de crescimento nos gráficos);
  5. defina a duração da sua carteira (a ideia é ganhar no curto prazo ou no longo? É uma carteira semanal, mensal ou anual?);
  6. opte por ações com excelente gestão e boa liquidez (são as melhores para suas posições de saída);
  7. diversifique entre setores (é essencial para estabelecer uma carteira de ações anti-crise);
  8. acompanhe e avalie sua carteira (é importante ter paciência com os investimentos, mas também vale a pena redefinir a estratégia caso ela não funcione).

Seguindo essas dicas e evitando os erros que eu listei no artigo, você estará no caminho certo para montar uma carteira de ações realmente lucrativa e que permitirá que você alcance seus objetivos financeiros.

Você gostou das dicas que eu dei neste artigo? Então, não deixe de me seguir no Instagram e assine o meu canal no YouTube para acompanhar outros conteúdos perfeitos para quem quer aprender a investir na Bolsa de Valores sem dificuldades!